TRANSTORNO DE AJUSTAMENTO


A pessoa apresenta reações emocionais decorrentes de situações do cotidiano e bastante comuns, como por exemplo, um rompimento amoroso. Não é um processo de luto por uma perda, mas uma reação exacerbada a um conflito iniciado há mais ou menos um mês e que perdura por pelo menos seis meses. O quadro clínico pode sugerir um episódio depressivo leve ou prolongado, quadros ansiosos, distúrbios de conduta com predominância de emoções que prejudicam seu convívio social. Costuma ocorrer em pessoas com grandes dificuldades de lidar com as perdas de uma maneira geral e que tem comprometida gravemente sua autoestima. Salienta-se que as crises ou rompimentos nos relacionamentos amorosos são uma das principais queixas que levam as pessoas a procurarem ajuda psiquiátrica ou psicológica. Geralmente a pessoa coloca expectativas exacerbadas em relação à ação da medicação por não suportar seu sofrimento. Cabe ao profissional sempre avaliar o custo/benefício da abordagem medicamentosa nestes casos, sendo que, se necessário, este uso seja por curto período de tempo.

RISCO: comprometimento acentuado das relações interpessoais e profissionais. Dificuldades duradouras em lidar com situações similares a desencadeante (por exemplo, um novo relacionamento amoroso).

Charge: Camilo Riani

Artigos recomendados