13 mitos e verdades sobre os antidepressivos


Atualmente tornou-se comum as pessoas atribuírem a depressão a alguém próximo de si, ou mesmo se “autorrotular” como sendo portadores dessa doença. Claro que, sendo assim, muitas curiosidades e dúvidas surgiram sobre os antidepressivos, seus efeitos colaterais, os sintomas que aliviam ou mesmo se estes remédios também podem combater a ansiedade.

Há vantagens nesse fenômeno, na medida em que estimula as pessoas a procurarem ajuda e pesquisarem sobre o tema, diminuindo, de certa forma, o preconceito, por exemplo, de que a depressão não é uma doença, de que é causada por uma possível “fraqueza” de personalidade e de que não tenha tratamento eficaz. Nada disso! E aí, alguns mitos foram criados sobre essa medicação. Daí nosso objetivo, neste artigo, de esclarecer 13 destes mitos ou verdades:

1. Antidepressivo causa dependência?

Mito. Essa medicação não causa dependência e, portanto, pode ser retirada facilmente com orientação médica. O fato é que alguns deles, e somente alguns, devem ser retirados lentamente simplesmente para não causar um desconforto chamado de síndrome de descontinuação. Sendo esta facilmente contornável por um profissional habilitado.

2. Antidepressivos engordam e emagrecem?

Verdade. Alguns antidepressivos podem facilitar o ganho de peso por aumentar o apetite, e outros podem ajudar a emagrecer por diminuírem esse apetite. Mas isso é facilmente contornável desde que se preste atenção à dieta diária e haja a orientação de um especialista. Lembrando sempre que não se deve usá-lo para esse fim, seja perder ou ganhar peso, pois há outros recursos mais saudáveis a serem usados.

3. É perigoso beber álcool e tomar antidepressivo?

Verdade. Há um risco de aumentar a sedação e, portanto, pode comprometer a motricidade, os reflexos e a atenção. Por outro lado, cabe também dizer que existem alguns tipos de antidepressivo em que esta interação é menos arriscada. Portanto, fazer uso de bebidas alcoólicas não é desculpa para não tomá-los.

4. Antidepressivos dão glaucoma?

Verdade. Alguns antidepressivos podem precipitar um glaucoma, por exemplo, a fluoxetina ou a paroxetina. Por outro lado, existem outros em que esse risco é bem menor ou inexistente.

5. Existem antidepressivos naturais?

Verdade. Existem alguns estudos que indicam essa ação, por exemplo, a erva de São João. Mas cabe procurar um especialista que esteja familiarizado com essa abordagem e jamais utilizá-la sem orientação médica.

6. Quem amamenta pode tomar antidepressivo?

Verdade. Existem alguns antidepressivos cujos estudos mostram um bom nível de segurança para a mãe que esta amamentando, por exemplo, a sertralina. Mas cabe sempre o acompanhamento da criança pelo pediatra por precaução.

7. Não adianta tomar antidepressivo por menos de 6 meses?

Verdade. Em certo sentido, é prudente que, mesmo num primeiro e único episódio depressivo, o uso da medicação se dê por volta de um período de 4 a 6 meses. Um tempo de uso menor que este facilita a possibilidade de recaída em mais de 75% dos casos.

8. Antidepressivo baixa a pressão?

Verdade. Alguns antidepressivos podem causar uma baixa súbita de pressão arterial quando a pessoa se levanta ou fica de pé, causando uma forte tontura e sensação de escurecimento das vistas. Esse efeito é chamado de hipotensão postural, ocorrendo de forma mais comum com os chamados antidepressivos tricíclicos.

9. Antidepressivo causa impotência masculina?

Mito. Na verdade, essa medicação causa somente um atraso na ejaculação. Com o diálogo aberto do casal e paciência no ato sexual, isso não será necessariamente um problema.

10. Antidepressivo afeta a libido?

Verdade. Alguns antidepressivos podem diminuir o interesse sexual após o uso por um tempo médio. Na prática, e na maioria das vezes, há uma perda da libido pelo próprio processo depressivo, que é confundido com o efeito colateral. Portanto, vale uma boa avaliação, anterior ao uso, dessa questão no deprimido.

11. Antidepressivo dá sono?

Verdade. Alguns antidepressivos têm um potencial de sedação bem relevante, sendo, por isso, utilizado nos casos de insônia em que seja necessária a medicação por um longo tempo, pois estes não causam dependência. Daí a vantagem sobre os calmantes, podendo inclusive ser usado também para a ansiedade.

12. Os antidepressivos podem interferir no ciclo menstrual da mulher?

Verdade. Alguns antidepressivos podem alterar o ciclo menstrual, portanto interferindo, de certa forma, em todos os seus fenômenos. Porém, cabe salientar que não são todos, daí a necessidade de orientação e ajustes feitos por um especialista.

13. Os antidepressivos têm efeitos colaterais diferentes?

Verdade. Aliás, esse é um dos critérios fundamentais para a escolha da medicação. Por exemplo, para alguns, o efeito sedativo pode ser benéfico, enquanto para outros seria um efeitos indesejável.

Como pode perceber, muitos mitos e verdades sugeridos para esses remédios são genéricos e não consideram os mecanismos de ação e perfis diversificados disponíveis. Procure um especialista que, juntamente com você, poderá escolher o antidepressivo mais eficiente para seu caso. Cada depressão é uma depressão singular, inclusive, com relação ao antidepressivo.

Recomendamos para você